De olho nos adversários: Coréia do Sul ainda não mostrou a que veio

(Divulgação/elgrafico)
Terceira adversária da Alemanha no Copa do Mundo de 2018, a Coréia do Sul obteve resultados oscilantes, tanto nas Eliminatórias Asiáticas, como nos amistosos da data FIFA. Os comandados de Shin Tae-Young passaram por momentos complicados na etapa de qualificação, quando o antigo treinador, Uli Stielike, foi demitido em 2017 na reta final da preparação para a Copa. Agora, tentam embalar nos últimos testes antes da principal competição do futebol mundial.

Nas eliminatórias, a Coréia do Sul entrou na segunda fase, em um grupo teoricamente fácil com Libano, Kuwait, Myanmar e Laos. Sem dificuldades, os sul-coreanos lideraram do início ao fim, com 100% de aproveitamento. Sob o comando de Son Heung-Min e Koo Ja-Cheol, do Augsburg, a seleção chegou com moral para a terceira e decisiva fase.

Seleção coreana em derrota para a China (Divulgação/AsiaTimes)
A terceira fase das eliminatórias, dividida em dois grupos, colocou a seleção frente a um grupo complicado. Irã, Siria, Uzbequistão, China e Catar seriam os adversários. Sem convencer, a seleção teve uma boa campanha jogando em seus domínios, perdendo apenas dois pontos de 15 disputados. No entanto, o desempenho ruim fora de casa foi determinante na campanha, atrapalhando as coisas e causando turbulências. Inclusive, os péssimos resultados jogando fora de casa podem ser determinantes na Copa do Mundo, já que será realizada na Rússia. O futebol não aparecia, os talentos tinham atuações tímidas e o treinador foi demitido. O alemão Uli Stielike caiu do cargo e, pro seu lugar, o jovem Shin Tae-Young recebeu a missão de garantir a classificação. Até conseguiu, mas sem mostrar um grande desempenho e fugir das criticas.

Antes dos amistosos, mais um pequeno teste. A disputa da Taça do Leste Asiático, um mini-torneio disputado a cada dois anos, que conta com apenas quatro seleções. Além da Coréia do Sul, participam também o Japão, a China (que foi a convidada desta edição) e um quarto adversário, que deve passar antes por uma fase preliminar, que conta com outras sete seleções. No caso, quem conquistou o direito de participar do torneio foi a Coréia do Norte. Com duas vitórias - inclusive uma contra o Japão, maior força asiática atualmente, por 4-1 - e apenas um empate, a Coréia do Sul levou esta taça, e foi confiante para os dois últimos amistosos antes da convocação definitiva para a Copa do Mundo.

Em um embate político, a Coréia do Sul derrotou a Coréia do Norte por 1-0. (Divulgação/DiárioAS)

Nos amistosos da Data FIFA, a esperança era de uma melhora, e não foi isso que aconteceu. Com duas derrotas, para Irlanda do Norte e Polônia, a seleção coreana mostrou grande fragilidade emocional ao ceder os resultados no fim das partidas. Algo que pode pesar na Copa do Mundo frente a tamanha pressão.

Portanto, caso queiram fazer frente à Alemanha, México e Suécia, a Coréia do Sul terão de se superar e contar com a sorte para chegar longe na Copa.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.