Julian Nagelsmann repete grande feito e Hoffenheim ruma à Champions League

Nagelsmann responde na prática os questionamentos recebidos ao longo da temporada

(Foto: Alexander Scheuber/Bongarts/Getty Images)


Mais uma temporada da Bundesliga se passou, e com ela os desfechos, que nem sempre são os esperados. Assim como em 2016/17, o modesto Hoffenheim se classificou para a UEFA Champions League na temporada 2017/18. Na primeira classificação dos Hoffe's, a equipe ocupou a quarta
colocação da Bundesliga, sendo assim, tendo que que passar pela fase preliminar da competição.


Nagelsmann assumiu a equipe da cidade de Sinsheim na reta final da temporada 2015/16. À época, o Hoffenheim encarava uma situação muito complicada: a luta contra o rebaixamento. Conseguindo o feito de manter a equipe na elite, Nagelsmann ganhou prestígio e seguiu trabalhando nos Hoffe's. Consolidando seu nome cada vez mais, chamou atenção de vez com a bela campanha do Hoffenheim na temporada 2016/17, quando terminou na quarta colocação e rumou para a Champions League.

O Hoffenheim sofreu com as perdas na janela do verão de 2017, perdendo dois grandes jogadores que foram super essenciais na classificação à Champions League, ambos rumaram para o Bayern München, trata-se do zagueiro Niklas Süle e do volante Sebastian Rudy, que já estavam vendidos para o clube Bávaro. Meses depois, na janela de inverno - após as primeiras rodadas da Bundesliga, e os torneios continentais - foi a vez do importante atacante Sandro Wagner rumar ao Bayern München, sendo assim, mais uma baixa no esquadrão dos Hoffe's. Nagelsmann sabia que tinha uma tarefa complicada para chegar na fase de grupos da UCL, jogando as preliminares da competição, encarou nada mais, nada menos que o Liverpool de Jürgen Klopp, e do ex-jogador do Hoffenheim, o brasileiro Roberto Firmino, perdeu os dois embates: 2 a 1 para os ingleses na Rhein-Necker-Arena, e em Anfield sendo abatido por 4 a 2. A eliminação precoce da UCL não foi nenhum absurdo para uma equipe pequena do futebol alemão, que a cada ano vai lutando por seu espaço, o Liverpool, por sua vez, viria a ser finalista daquela edição da UEFA Champions League. Com a eliminação, o Hoffenheim rumou para UEFA Europa League - como de acordo com o regulamento da UEFA -, e ficou na última colocação do grupo C, que era um gruo modesto com equipes como: Braga (Portugal), Basaksehir (Turquia) e Ludogorets (Bulgária).

Hoffenheim em Anfield  (Foto: Nick Potts/PA Images via Getty Images)

Na Bundesliga, o Hoffenheim seguiu invicto até a sexta rodada, quando perdeu para o Freiburg por 3 a 2. A equipe de Sinsheim, começou muito bem na competição, inclusive, vencendo o Bayern München por 2 a 0, e também, o Schalke 04 pelo mesmo placar. Com o passar das rodadas, a equipe de Nagelsmann começou a oscilar, chegando a ficar cinco rodadas sem vencer. O time passou pequenas turbulências como a saída de Sandro Wagner, e a longa recuperação do camisa 10, Kerem Demirbay. Com os fracassos e o início de temporada inconsistente, muitos duvidaram do real trabalho de Julian Nagelsmann... afinal, o eleito melhor técnico da Alemanha não seria capaz de mudar as coisas? E assim, o trabalho do treinador, foi contestado. Muito badalado, Nagelsmann é um dos técnicos mais visado da Alemanha, devido seus grandes feitos à frente do modesto Hoffe. Com a queda de desempenho, o Hoffenheim habitou o meio de tabela por muitas rodadas, o sonho de se classificar para UEFA Champions League soava como improvável, o clube voltava seus pensamentos para uma possível classificação para UEFA Europa League.

Jogadores com talento individual são essenciais em qualquer equipe do mundo, e no Hoffenheim não é diferente. Emprestado pelo Bayern, Serge Gnabry foi peça fundamental, formando parceria com outros dois grandes jogadores do setor ofensivo: Mark Üth e Andrej Kramaric. A zaga contava com o capitão Kevin Vogt, que falhou em alguns jogos, mas é um jogador de qualidade. Junto com todo elenco, o trio ofensivo do Hoffenheim começou a emplacar nas rodadas finais, ficando invicto em 10 das últimas 11 rodadas. O talento de Kramaric fez muita diferença, o croata marcou 13 gols e distribuiu seis assistências em todo campeonato. Üth, por sua vez, marcou 14 gols e concedeu oito assistências. Com os bons resultados, a sonho de ir à Champions não estava tão distante como parecia, a equipe chegou na última rodada precisando apenas de uma vitória por dois gols de diferença para empatar em pontos com o Borussia Dortmund -  seu adversário do diapara consolidar a classificação. A vitória veio, 3 a 1 e com ela o terceiro, contudo, a classificação para Champions League 2018/19. Os torcedores do Hoffenheim tem sido muito fiéis, sempre indo à Rhein-Necker-Arena, apoiando o time, que no campo, responde com futebol eficiente, depois de dias difíceis.

Julian Nagelsmann (Foto: Alexander Scheuber/Bongarts/Getty Images)

Assim como em 2017, Nagelsmann - que aparentemente permanecerá no clube - tem a tarefa de lidar com perdas, Mark Üth já tinha acertado com o Schalke 04 na janela anterior, e já era nome certo em Gelsenkirchen para a temporada, e Serge Gnabry, voltará ao Bayern após o empréstimo, que era válido por uma temporada. O Hoffenheim já anunciou duas contratações, o meio-campista, Leonardo Bittencourt junto ao rebaixado FC Köln , e o atacante Ishak Belfodil que veio do Werder Bremen. A temporada do Hoffenheim promete, a cada ano o clube vai progredindo na mediada do possível, e o treinador Julian Nagelsmann, também segue ganhando experiência.

Como já citado, Nagelsmann sofreu contestações ao longo da temporada, as eliminações precoces na fase preliminar da Champions League, de grupos da Europa League, e também na segunda eliminatória da DFB Pokal para o Werder Bremen por 1 a 0, gol marcado por Ishak Belfodil, recém-contratado pelos Hoffe's. A resposta de Nagelsmann foi na bola, no campo, fazendo o necessário e com a felicidade de contar com jogadores competentes. Eleito o técnico do campeonato alemão na temporada 2016/17, Nagelsmann está longe de ter sido um super técnico na em 2017/18, mas extraiu algo bom, fez algo que soava como inesperado após os fracassos de toda a temporada. Muitos esperam um temporada de mais impacto em Sinsheim em 2018/19, um clube com uma ideia de jogo mais consistente, evoluída e competitiva ao ponto de brigar contra os grandes, em tarefa difícil, Nagelsmann e o Hoffenheim terão que se provar mais uma vez.




Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.