Depois de tanto tempo, o torcedor do Bremen pode se animar

Clube tradicional da Alemanha, o Werder Bremen aparenta estar se reerguendo após fracas campanhas nas últimas temporadas 

SV Werder Bremen


Responsavéis:

Como o título já diz, depois de muito tempo, muito se espera do Werder Bremen na temporada 2018/19. Os Papagaios se movimentaram de forma intensiva na janela de verão, contratou bem e vem se organizando após algumas perdas. Por muito tempo os torcedores do Bremen não tinham motivos reais para se animar com o início de temporada, devido o lapso financeiro que a equipe sofreu e vem se recuperando aos poucos com a gestão consciente e coesa liderada por ídolos do clube: Marco Bode (Presidente), Frank Baumann (Diretor de Esportes) e também Klaus Filbryresponsável por um conselho fiscal que comanda todas as movimentações da instituição no mercado. O Werder Bremem é uma das maiores agremiações da Alemanha, com quatro títulos da Bundesliga, seis da DFB-Pokal, três Supercopa da Alemanha, um título da segunda divisão além de também um título da extinta Copa da Liga Alemã

Marco Bode, ídolo e presidente do Werder Bremen (Foto: Johannes Simon/Bongarts/Getty Images)


Perdas e Contratações:

Com toda organização e planejamento, já conseguimos ver mudanças na gestão dos Papagaios, que investiu no mercado para fortalecer o clube para a temporada 2018/19, mesmo tendo perdido nomes importantes como: Thomas Delaney que rumou ao Borussia Dortmund por 20 milhões de Euros, Zlatko Junuzović que jogará no RB Salzburg (Áustria) e foi-se por 5 milhões de Euros, Jérôme Gondorf que chegou ao Freiburg por 1,30 milhões de Euros e Ishak Belfodil chegando ao Hoffenheim por 5,50 milhões de Euros.

Foram contratados três atacantes: o peruano Claudio Pizarro (FC Köln) que chega aos 39 anos para sua quarta passagem pelo Bremen. Outro velho conhecido retorna ao clube, trata-se de Martin Harnik (Hannover 96) austríaco de 31 anos que terá sua segunda passagem. Yuya Osako (FC Köln) japonês de 28 anos é outro que chega pra agregar no setor ofensivo. Para o meio-campo veio Kevin Möhwald de 25 anos, disputou à Zweite Liga junto ao Nürnberg na temporada passada e conquistou o vice-campeonato sendo um dos principais jogadores do clube bávaro. O holandês Davy Klaassen de 25 anos também vem para o meio-campo e chega como contratação mais cara da história do clube Werderaner, foram desembolsados 15,00 milhões de Euros pelo jogador, que viveu boa fase no AFC Ajax mas não brilhou nos gramados ingleses com a camisa do Everton. Para as laterais chegaram: Jan-Niklas Beste de 18 anos junto ao Borussia Dortmund e Felix Bejimo de 20 anos junto ao Djurgårdens. Para o gol veio o grego Stefan Kapinos de 24 anos que vem do Nottingham Forrest, da segunda divisão inglesa e chega como reserva imediato de Pavlenka. A contratação de Klaassen, por exemplo, mostra como o momento do clube é outro em questões até mesmo financeiras. 

Davy Klaassen à esquerda e Martin Harnik à direita (Foto: Christof Koepsel/Getty Images)

Reflexo da temporada passada: 

Na última temporada o Bremen terminou na décima primeira colocação, nove pontos à frente do Wolfsburg que disputou o playoff de rebaixamento contra o Holstein Kiel. Os Papagaios passaram praticamente toda competição na parte debaixo da tabela, inclusive, algumas rodadas na zona de rebaixamento. A equipe começou a temporada sendo treinada por Alexander Nouri e terminou com Florian Kohfeldt - atual treinador -, a mudança de técnico foi algo "comum" na última temporada do futebol alemão, mas mostra um pouco da conturbação que os clubes viveram, e o Bremem foi um desses clubes. O Werder Bremen teve uma das defesas mais vazadas da Europa nas últimas temporadas, porém viveu situação surpreendente na temporada 2017/18, a defesa foi um dos pontos positivos, e muito se deve ao goleiro tcheco Jiří Pavlenka - Que para muitos foi o melhor goleiro da Bundesliga 2017/18 - e ao zagueiro finlandês Niklas Moisander, nomes super importantes na defesa dos Alviverdes. o técnico Florian Kohlfeldt por ora conseguiu resolver o problema defensivo e manter certa consistência, por outro lado o ataque Werderaner foi quem deixou desejar e dependeu muito do principal jogador da equipe: Max Kruse, que geralmente tem boas atuações e balança as redes, mas quando não está em um bom dia, basicamente toda a equipe não tem um bom dia, não à toa três atacantes chegaram ao clube para tentar solucionar o problema com os gols. 

Ludwig Augustinsson, de 24 anos, renovou seu contrato com o Werder até 2022. O lateral-esquerdo foi um dos destaques dos Papagaios na temporada 2017/18 e fez boa Copa do Mundo junto com a seleção da Suécia

“Eu me senti em casa desde o começo. Tenho a sensação de que este é o melhor lugar para eu continuar melhorando. Eu também acho que o clube pode continuar crescendo ano após ano e continuar realizando grandes coisas agora ou no futuro. Acho que podemos conseguir muito mais do que na temporada passada. Eu disse desde o começo que meu objetivo é jogar na Europa com o Werder. Se todos nós trabalharmos duro, podemos alcançar um grande sucesso.", disse Ludwig.



O capitão Max Kruse (Foto: TF-Images/Getty Images)


O que esperar da temporada 2018/19?

O elenco do Werder Bremen, como um todo, é um dos melhores elencos da Alemanha. Com o plantel reforçado e jovens remanescentes tais como: Johannes Eggestein e Josh Sargent que podem surgir como opções determinantes ao longo da temporada, o técnico Florian Kohlfeldt tem a missão de encontrar o equilíbrio para o time do Norte da Alemanha, a diretoria deposita sua confiança em Florian, a torcida nem tanto, como de costume na vida da maiorias dos técnicos de futebol, Florian é contestado por parte da torcida. De todo modo, o Bremen precisa figurar entre as primeiras posições, e não apenas lutar para se manter na elite, chegou o momento de levantar a cabeça e pensar grande de novo. 


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.