Eintracht Frankfurt: Após a glória na Copa da Alemanha, é preciso buscar regularidade

(Foto: divulgação/Frankfurter Rundschau)

A temporada 2017/2018 acabou com os torcedores do Eintracht Frankfurt nas nuvens. O título da DFB-Pokal, após trinta anos da última conquista, frente ao Bayern München coroou o trabalho competente do croata Niko Kovac à frente do tradicional clube, que vem em um trabalho consistente à longo prazo. No entanto, após o sucesso, o elenco sofreu com baixas e, até o momento, não teve grandes reposições. Com uma pré-temporada abaixo do esperado e a goleada sofrida na final da Supercopa da Alemanha, os ares mudaram na Commerzbank-Arena, e agora o clima de empolgação se mistura ao de preocupação.

Chegadas e saídas


Em ascensão, o croata Ante Rebić renovou seu contrato e será a principal referência do time. (Foto: divulgação/ESPN)

Após o título da Copa alemã e o auge alcançado por Niko Kovac e seus comandos, o Frankfurt sofreu com saídas de pilares da equipe. Nomes como Lukas Hradecky, Kevin-Prince Boateng, Omar Mascarell e Marius Wolf deixaram as Águias. Todos titulares e de papel crucial no esquema tático dos rubro-negros. Além dos jogadores, o time viu seu treinador, Kovac, acertar com o Bayern de Munique, principal força do futebol alemão. Com as sentidas perdas, era necessária uma grande reestruturação no plantel, mantendo um bom nível. E a estratégia usada pela diretoria na janela de verão foi apostar em jovens jogadores, sem tanta bagagem quanto as antigas peças do elenco.

Para o comando técnico, o austríaco Adi Hütter foi o escolhido para dar prosseguimento ao bom trabalho feito nas últimas temporadas. Com a credencial de ter sido campeão suíço com o Young Boys, o novo treinador terá de superar as expectativas no novo clube. Para assumir a meta do time, o clube foi na Dinamarca buscar a contratação de Frederik Rönnow, do Brondby. No goleiro de 25 anos, as Águias encontram boas referências e apostam alto no bom arqueiro para manter o nível antes mantido por Hradecky. Felix Wiedwald, outro goleiro contratado para a temporada, estava no Leeds United da Inglaterra.
Já na linha, diversas apostas foram feitas. Para o setor defensivo, o Frankfurt contratou Evan N'Dicka, zagueiro francês de apenas 18 anos. No meio de campo, o setor mais reforçado: com Lucas Torró, volante formado nas categorias de base do Real Madrid; Francisco Geraldes e Gonçalo Paciência, portugueses que chegam com moral e status de promessas; Allan, brasileiro emprestado pelo Liverpool e que, na Bundesliga, busca afirmação e oportunidade para evoluir. Além dos jovens citados, o Eintracht também acertou com o experiente Nicolai Müller do Hamburgo. Mas o maior reforço, sem dúvidas, foi a permanência de Ante Rebić. Vice-campeão mundial com a seleção croata, o atacante foi muito assediado durante toda a janela de transferências, mas preferiu ficar em Frankfurt e renovar seu contrato. Agora, em plena ascensão, tem tudo para ser o grande trunfo da equipe.

O que esperar na nova temporada?


Adi Hütter terá a missão de dar continuidade ao trabalho de Niko Kovac. (Foto: divulgação/Eintracht)
Na nova época, o desempenho do Eintracht Frankfurt certamente é uma incógnita. Com um novo comandante, várias saídas importantes e diversas apostas, ainda é cedo para prever como a equipe irá se portar diante de tantas mudanças. A expectativa é que haja uma mescla de experiência e juventude na equipe titular. Depois de uma pré-temporada abaixo do esperado, o Frankfurt foi à campo contra o FC Bayern, pela DFL-Supercup. A derrota acachapante por 5 a 0 dentro de casa escancarou a fragilidade do time. Ainda que tenha referências por cada setor do campo, como Abraham, Willems, de Guzmán, Marco Fabian e Haller, as Águias tem muito a melhorar caso queiram repetir o sucesso das últimas temporadas. Adi Hütter precisará extrair o máximo dos novos reforços para, quem sabe, maximizar a força do time titular, que já não é mais tão forte quanto na temporada passada. Com a Bundesliga, DFB-Pokal e UEFA Europa League pela frente, o Eintracht certamente terá de se superar para alcançar vôos altos, algo que o clube tem se acostumado a fazer nas últimas temporadas. Quem sabe, no final da época, não seja mais uma bela marca de superação escrita na história do clube. Mas, por enquanto, é a dúvida que paira sob o ar da Commerzbank-Arena.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.